Ayurveda (ayur = vida / veda = conhecimento), também conhecido como “Ciência da Vida Longa” ou “Medicina Indiana”, é muito comum na Índia e Ásia e existe há cerca de cinco mil anos, destacando-se por ser, ao mesmo tempo, uma ciência curativa e educativa. Além de tratar doenças, concentra-se ainda na prevenção e manutenção da saúde para garantir maior qualidade de vida às pessoas.

Ou seja, não adianta apenas curar; o Ayurveda educa o indivíduo para lidar com a própria saúde. A pessoa aprende-se a  alimentar corretamente, fazer Yoga, praticar exercícios (inclusive respiratórios), assim como meditar, usar ervas, temperos e condimentos, entre outras terapias que equilibrem o seu campo energético.

Desse modo, o Ayurveda ensina a pessoa a viver de acordo com sua natureza mais profunda, ou sua constituição pessoal.

Segundo o Ayurveda, essa constituição pode ser avaliada de acordo com os princípios ayurvédicos: a Teoria dos 5 Elementos e dos 3 Doshas. De acordo com esse conhecimento, tudo no Universo, inclusive o nosso corpo físico, é formado por 5 elementos principais: Água, Terra, Fogo, Ar e Éter (ou espaço). Estes, por sua vez, se unem dois a dois para formar o que chamamos de Doshas – fatores desencadeantes de doenças físicas e psicológicas, desordens emocionais, desequilíbrio mental e disfunções fisiológicas – mais popularmente conhecidos como “humores biológicos”. São eles:

Dosha Pitta (fogo e água) – é quente, moderado e oleoso (úmido). Atua sobre as funções metabólica e digestiva;

Dosha Vata (éter e ar) – é frio, leve, seco, móvel e rápido, atua principalmente nas funções excretória e nervosa. No tubo digestivo localiza-se no intestino grosso.

Dosha Kapha (água e terra) – é pesado, oleoso (úmido), frio e lento. Age na função estrutural e de lubrificação dos nossos tecidos.

Logo, o Ayurveda tem como objetivo harmonizar os Doshas, ou seja, equilibrar os humores biológicos para neutralizar o processo de formação das doenças.